Equals Three

Publicado março 15, 2010 por Caverna
Categorias: Doideiras, Internet

Tags: , , ,

Rage – Strings To A Web

Publicado março 12, 2010 por Caverna
Categorias: Música

Uma excelente notícia para os fãs da banda alemã Rage! Finalmente, temos em mãos novamente um álbum do power trio do qual podemos nos orgulhar. “Strings To A Web” é, de longe, o melhor trabalho deles desde o “Soundchaser” de 2003, e se percebe muito da essência desde último no novo trabalho.

Após dois discos (“Speak Of The Dead” de 2006 e “Carved In Stone” de 2008) marcados por uma certa frieza e distanciamento de suas origens, o Rage resgata o clima discontraído e eficiente de primorosos trabalhos anteriores. “Strings To A Web” propicia uma experiência auditiva muito agrádavel, abusando de ótimos melodias, arranjos cuidadosos e peso, bastante peso! A impressão que se tem é de que Peter Peavy Wagner (voz e baixo), Victor Smolsky (guitarra) e Andre Hilgers (bateria) estão novamente em sintonia, fazendo tudo fluir muito naturalmente.

“Strings To A Web” traz todos os trunfos do Rage. São toneladas de refrões grudentos, riffs pesados, ótimos solos, enfim, tudo aquilo que os fãs da banda esperavam há anos para ouvir de novo. Na verdade, ainda temos aqui alguns toques bem progressivos que se encaixam muito bem no peso do power metal executado pelo trio.

Alguns críticos tem ressaltado que o Rage é uma banda que não buscou evoluir seu som ao longo dos últimos anos, apesar da imensa qualidade técnica dos músicos. Mas, sinceramente, eles não precisam evoluir. O que eles precisavam fazer, foi feito, ou seja, retornar à sua essência, relativamente ausente desde o álbum “Soundchaser”. A música do Rage é bastante característica, é moderna, cativante, pesada. Não é nada que vá fundir o seu cérebro ou encerrar a sua busca por elementos novos no heavy metal, mas é extremamente eficiente. Evoluir, nem sempre é resposta pra tudo…vide o Iron Maiden, na estrada há décadas fazendo o mesmo som…

Enfim, “Strings To A Web” já é um cd garantido aqui nas prateleiras da Caverna! Fico feliz pelo retorno do Rage ao som que lhe colocou como uma dos expoentes do heaby metal alemão. Agora, amigos, afastem o a mesa da sala, tirem as crianças do recinto e aumentem o som, porque é porrada na orelha!

Tracklist

01. The Edge of Darkness
02. Hunter and Prey
03. Into the Light
04. The Beggar’s Last Dime
05. Empty Hollow
06. Strings To A Web
07. Fatal Grace
08. Connected
09. Empty Hollow (Reprise)
10. Saviour Of The Dead
11. Hellgirl
12. Purified
13. Through Ages
14. Tomorrow Never Comes

E tome-lhe Homem de Ferro 2!!!

Publicado março 9, 2010 por Caverna
Categorias: Cinema

Tags: ,

O material promocional de “Homem de Ferro 2” não para de sair! Depois de mais um trailer, que você pode conferir aqui na Caverna, agora são dois novos posters, um display e uma imagem. E todos eles, assim como o trailer, também falam por si só! Cuidado pra não babar no teclado!

Pouco fodástico, né?

Novo Trailer de Homem de Ferro 2!!!

Publicado março 8, 2010 por Caverna
Categorias: Cinema

Tags: ,

Pára tudo!!! Saiu um novo trailer de “Homem de Ferro 2” e ele fala por si só:

Equals Three

Publicado março 8, 2010 por Caverna
Categorias: Doideiras, Internet

Tags: , , ,

Legião – review

Publicado março 8, 2010 por Caverna
Categorias: Cinema

Tags: , ,

Será que eu fui com muita sede ao pote? Será que eu esperei demais desse filme que, de certa forma, tava quietinho lá no canto dele, sem muito alarde? Bom, só sei que, infelizmente fiquei com cara de ‘cuén’ depois que assistir ao potencialmente fodástico “Legião”.

O filme é um tanto sombrio, tem bom ritmo, boas sacadas, personagens interessantes e bom elenco. Os efeitos especiais também são notáveis. A caracterização dos anjos e a batalha entre Michael e Gabriel é realmente de excelente. Mas peraí…essa já não seria a fórmula para um bom filme? Infelizmente não. Faltou o principal, algo que desse a liga ideal entre esses elemntos.

O tema, o enredo de “Legião” é denso demais e tem potencial demais para ser tratado da maneira superficial e distante com que foi feita no filme. A história em si é realmente ótima, mas faltou um maior aprofundamento e desenvolvimento de conceitos, e até mesmo de personagens.

A pincelada quase descompromissada que o diretor Scott Stewart dá na profecia e nos porquês da épica batalha que trará a humanidade a um fim, nos deixa diante de uma um castelo colossal sustentado por palitos de sorvete. O que “Legião” quer trazer para as telas é algo grande demais e rico demais para ser sustentado por bases tão frágeis. É realmente uma pena. Ao final do filme, a sensação não é de arrependimento ou descontentamento. É pena mesmo, já que é nitídio que “Legião” poderia ser muito, mas muito, mais do que é.

Sons Of Liberty – Brush-fires Of The Mind

Publicado março 7, 2010 por Caverna
Categorias: Música

Tags: , , ,

Tenho certeza de que pouquíssima gente já ouviu falar desse recente trabalho do guitarrista John Schaffer. Bom, o cara é simplesmente o fundador e principal compositor da fodástica banda de power metal americana Iced Earth. Após o lançamento e durante um intervalo na turnê do último álbum de estúdio da banda, “The Crucible Man”, Schaffer decidiu se dedicar a um projeto solo que há tanto tempo vinha idealizando. Eis que nasce o Sons Of Liberty.

John Schaffer decidiu mostrar, ou melhor, escancarar, as suas visões políticas e usou o Sons Liberty como o veículo. O álbum intitulado “Brush-fires Of The Mind” é politicamente engajado e traz nove faixas que expõe todo o ideário do guitarrista além de críticas ao atual governo americano e sua forma de dominação e exclusão. Schaffer, que descende de uma família que sempre esteve envolvida e atuante, de diversas formas, nos principais acontecimentos da história americana, baseou sua abordagem desse polêmico tema em várias pesquisas, livros e documentários que ele mesmo disponibiliza no site do projeto: www.sons-of-liberty.net

Não posso deixar de frisar que John Schaffer não tem a intenção de provocar uma revolução ou pregar nenhum tipo de doutrina anti-governista. Em entrevistas, ele deixou claro que ele apenas está expondo fatos que são desconhecidos de muita gente e que exigem uma certa reflexão. Se o cara, fosse um escritor, provavelmente teria escrito um livro sobre o assunto. Ele foi consciente o suficiente de não usar o Iced Earth para tal, abrindo assim um novo canal de comunicação com seus fãs, separando o joio do trigo. O projeto foi todo bancado por Schaffer e está disponível para download (sim, ele inteirinho para download!) no site do Sons Of Liberty ou à venda, em qualdiade superior, por míseros US$ 7,99.

Musicalmente falando, estamos falando e um álbum incrível, fora de série. Possivelmente o melhor lançamento na linha do power metal de 2009. Para defini-lo em uma só frase, acho que “Brush-fires Of The Mind” é tudo aquilo que o último álbum do Iced Earth deveria ter sido. As guitarras são o ponto alto do cd. Muito bem trabalhadas, timbres diferenciados, algo um tanto quanto mais complexo do que Schaffer mostra costumeiramente no Iced Earth. Os riffs são cavalares, empolgantes, com a pegada característica de John.

É surpreendente também ouvir o sisudo guitarrista do Iced Earth quebrando tudo nos vocais. Os fãs já tinham algumas amostras da voz de Schaffer em músicas como “Stormrider” e diversos outros backing vocals, mas no Sons Of Liberty, quem manda é ele! A voz de Schaffer soa bastante parecida com a de Matthew Barlow, vocalista do Iced Earth, principalmente nas regiões mais graves e médias. Schaffer não arrisca nada fora do comum, mas faz um trabalho competente, seguro e de personalidade.

Não improta se você desaprova a postura de Schaffer ou não concorda com as críticas que o Sons Of Liberty traz à tona. O importante aqui é o trabalho musical de primeiríssima categoria com que o líder dos Iced Earth nos presenteia. Portanto, deixa de frescura, baixa isso logo e deixa a porrada na orelha comer solta!

TRACKLIST:
01. Jeckyll Island
02. Dont Tread On Me
03. False Flag
04. Our Dying Republic
05. Indentured Servitude
06. Tree Of Liberty
07. Feeling Helpless
08. The Cleansing Wind
09. We The People